sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Feijão Transgênico desenvolvido pela Embrapa

"Feijão transgênico é aprovado, com abstenção do Ministério da Ciência e Tecnologia


O feijão transgênico desenvolvido pela Embrapa foi aprovado no último dia 15 de setembro, durante reunião da CTNBio – Comissão Técnica Nacional de Biossegurança. Apesar das representações feitas pela sociedade civil e dos questionamentos quanto a insuficiência de pesquisas científicas, a variedade foi aprovada com duas abstenções, cinco pedidos de diligência e 15 votos favoráveis.

Uma das abstenções foi do próprio representante do Ministério de Ciência e Tecnologia, Carlos Nobre. Para as organizações, a postura adotada pelo MCT representa uma grave omissão do ministério quanto ao tema, já que o caráter científico do debate sobre transgênicos mereceria total atenção e posicionamento do mesmo. Organizações da sociedade civil e movimentos sociais vinham informando o Ministério há meses sobre a ameaça de uma votação anti-científica e em desacordo com a legislação de um dos alimentos mais importantes para os brasileiros. Também protocolaram duas representações ao Ministério Público Federal sobre a votação, a fim de demonstrar as lacunas científicas e o evidente conflito de interesses por parte dos membros que anteciparam seus votos favoráveis ao participarem de um abaixo assinado virtual pró-feijão transgênico.

Estudiosos da área de alimentação enviaram um artigo ao Jornal da Ciência, em resposta ao artigo “Feijão maravilha”, de Xico Graziano, publicado no jornal O Estado de São Paulo de 6 de setembro. Segundo os autores, vários feijões transgênicos já foram desenvolvidos, testados e descartados. Dada à escassez de informações que o cerca, com muita sorte, pode vir a ser um escanteio. Segundo os estudiosos, a ciência se utilizou de mecanismos de uma bactéria, para incorporar transgenes que não se prestam a relações simbióticas – e nisso ainda estaríamos diante de mecanismos menos imprecisos do tiro no escuro da biobalística, método aleatório e sem precedentes na natureza-, e a ciência trombou, sim, não com o vírus transmitido pela mosca branca, mas com os interesses de curto prazo estabelecidos em instâncias decisórias, a ponto de permitir que a transgenia ameace definitivamente a natureza, e que esta pseudociência gere novos e fundados temores, apesar do ufanismo e miopia de muitos. Eles enfatizam que dos 22 eventos do feijão gerados para resistência ao mosaico, apenas dois destes funcionaram e não se sabe o porquê – isso relata a própria Embrapa."

Redação Malagueta
Fonte: várias

domingo, 11 de setembro de 2011

Grão de Bico com Escarola e Cebola Roxa




Grão de Bico com Escarola e Cebola Roxa



Ingredientes:

1 ½ xícara (250g) de grão de bico
½ xícara de azeite
2 cebolas roxas fatiadas
½ xícara (50g) de passas pretas
10 folhas de escarola
sal e pimenta do reino à gosto


Modo de Preparo:

Deixe o grão de bico de molho por no mínimo 8 horas. É conveniente deixar durante à noite para preparar no dia seguinte.
Cozinhe o grão de bico em água na panela de pressão por 1 hora, até que fique macio. Escorra a água e reserve.
Em uma frigideira larga, aqueça o azeite e doure a cebola. Junte as passas e deixe refogar por 1 minuto. Acrescente a escarola cortada em fatias largas e deixe cozinhar por mais 2 minutos. Junte o grão de bico e mexa cuidadosamente para que os sabores se misturem. Faça isso por mais 2 minutos. Tempere com sal e pimenta do reino. Sirva quente regado com um fio de azeite.






Para acompanhar fiz polenta branca.






Bom apetite!

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Lasanha de Banana com Aveia - Reinventando clássicos

Acredito que não há nada mais clássico na culinária natural do que banana + aveia. Seja vitamina, torta ou mesmo a banana amassadinha com aveia e mel. São dois ingredientes maravilhosos! Adoro banana da terra e a aveia é o meu cereal favorito. Mas tinha que ser uma coisa nova. Gosto de trazer aqui um gostinho de diferente. Então, fiz essa lasanha com banana da terra, molho bechamel e queijo. A aveia é esse enformadinho que parece com arroz integral (usei aveia em grãos e não flocos).
Então, mesmo quando fico um tempo sem aparecer por aqui, minha cabecinha fica martelando "receita para o blog, receita para o blog..." ou seja, cozinhar, fotografar, escrever e postar." Dá um certo trabalhinho, mas não estou reclamando não, adoro!

Lasanha de Banana da Terra


5 bananas da terra maduras cortadas no sentido do cumprimento


azeite extra virgem


1 colher de sopa de manteiga


1 colher de sopa de farinha de trigo


1 1/2 xícara de leite integral


300g de muçarela


sal e noz moscada a gosto


Aqueça uma frigideira antiaderente, coloque um fio de azeite e grelhe as fatias de banana de ambos os lados até que dourem. Reserve.


Faça o molho bechamel, derretendo a manteiga em uma panela e acrescentando a farinha de trigo. Não deixe dourar, apenas deixe que farinha cozinhe e comece a liberar um aroma de nozes. Junte o leite aos poucos, mexendo sem parar. Cozinhe até que engrosse como um mingau. Tempere com sal e noz moscada a gosto.


Monte a lasanha, dispondo as fatias de banana, molho e muçarela. Termine com o molho e a mussarela e leve ao forno para gratinar. Sirva imediatamente.


Para fazer a aveia, basta cozinhá-la em água e sal, igualzinho o arroz.


Bom apetite!!!




terça-feira, 5 de julho de 2011

Galette de Tomate

Tem feito um calor esses dias... até me lembrei que existe verão. Foi bom dar um tempinho naquele frio. Definitivamente sou uma criatura solar.
Nada melhor para comemorar esse calorzinho que uma bela Galette de Tomate Cereja.




Galette de Tomate Cereja

2 xícaras de farinha de trigo orgânica
100g de manteiga
1 ovo
1 colher de sopa de água gelada
400g de tomate (eu usei o sweet grape)
1 colher de sopa de mostarda Dijon
azeite e sal a gosto

Misture a farinha de trigo com a menteiga, o ovo, a água e uma pitada de sal. Faça uma bola e leve a geladeira por 30 minutos.
Lave e seque e corte os tomates.
Na hora de montar, pegue uma forminha de torta só para ajudar na montagem.
Abra a massa com a ajuda de um rolo e faça cortes redondos (maiores que a forma que vai usar de base). Coloque sobre as formas, deixando a borda da massa ficar um pouco pra fora. Passe um pouco de mostarda Dijon no fundo e coloque os tomates. Regue com azeite e sal. Dobre a borda da massa por cima dos tomates e retire da forma. Coloque em uma assadeira. Asse em forno pré aquecido a 180 graus por 30 minutos.
Renderam 5 galettes pequenas ou você pode fazer uma de tamanho grande.

Bom apetite!!

Pitada de Adélia





segunda-feira, 27 de junho de 2011

Abobrinha ao Curry

Isso não é nem uma receita que se preze, mas a combinação é tão boa que não resisti em compartilhar com vocês. Acompanha bem quase todos os pratos, desde massas até arroz com feijão. É simples e surpreendente. Um novo jeito de comer abobrinha.


Abobrinha ao Curry


500g de abobrinha
1 colher de chá bem cheia de curry
azeite de oliva extra virgem
sal

Corte as abobrinha em cubos.
Aqueça o azeite em uma frigideira larga e coloque o curry. Deixe o curry liberar todo seu sabor no azeite por 30 segundos. Coloque as abobrinhas e salteie em fogo alto até que fique macia e levemente tostada. Tempere com sal e sirva.

Bom apetite!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Torta Crepe de Vegetais

Vegetais quentinhos para aquecer o inverno...
Essa semana comprei uma alface e uma rúcula para fazer uma saladinha, mas estão lá, dormindo na geladeira. Comer salada fria no inverno é bem difícil pra mim. Então abuso das folhas refogadas, tipo couve, escarola, repolho... e das tortas de vegetais. Tem coisa mais gostosa?




Torta Crepe de Vegetais

massa:

100 g de farinha
2 ovos
200 ml de leite
2 colheres de sopa de azeite

Recheio:

2 colheres de sopa de azeite
1 cebola cortada em fatias
1 cenoura cortada em palitos
1 abobrinha em palitos
200 g de cogumelos paris
1 colher de sopa de alcaparra ou azeitona

Para o recheio, refogue a cebola no azeite e assim que ficar transparente, junte os demais ingredientes do recheio e refogue mais um pouco. Espere esfriar um pouco. Enquanto isso, misture os ingredientes da massa, menos o azeite.
Em um refratário, coloque o azeite e leve ao fogo para aquecer. Assim que estiver bem quente, despeje a massa e em seguida coloque os legumes do recheio.
Leve novamente ao forno a 180 graus por aproximadamente 30 minutos.

Ah! Eu coloquei colheradas de cream cheese por cima, antes de ir ao forno. Ficou muito bom, mas é opcional.

Bom apetite!!

sábado, 11 de junho de 2011

Torta de Damasco e uma Biblioteca

Às vezes dá uma vontade de comer uma sobremesa assim: simples, poucos ingredientes e deliciosa. Tem dias que creme de leite e chocolate, apesar de maravilhosos, não nos atraem. Eu já disse aqui e repito, adoro sobremesas com frutas. Damasco então, é perfeito quando não queremos nada doce demais. Seu azedinho sutil é único.


Essa linda construção fica no bairro de Monte Alegre, aqui em Piracicaba. Me parece que pertencia a antiga usina de cana de açúcar e depois tornou-se uma biblioteca. Hoje encontra-se fechada e abandonada. Meu coração dói de ver uma coisa tão linda se acabar.
Alinhar ao centro



Torta de Damasco




Ingredientes:

Massa:
250g de farinha de trigo
125g de manteiga em temperatura ambiente
125g de açúcar cristal orgânico
1 ovo


Recheio:
300g de damascos secos e inteiros

2 colheres de sopa de açúcar cristal orgânico
sementes de uma fava de baunilha
250ml de água
70g de nozes pecã picadas


Modo de Preparo:
Misture a farinha com a manteiga até que fique parecendo uma farofa úmida. Faça um furo no centro e coloque o ovo e o açúcar. Mexa e aos poucos vá misturando com a farinha. Faça uma bola, enrole em filme de PVC e deixe descansar na geladeira por 1 hora.

Enquanto isso, faça o recheio colocando os damascos, o açúcar, as sementes de baunilha e a água em uma panela. Deixe cozinhar em fogo brando até a água quase evaporar por completo. Deixe esfriar.
Abra a massa e forre uma forma grande.

Leve ao forno a 180 graus até que doure levemente. Deixe esfriar e desenforme.
Disponha os damascos e salpique as nozes pecã. Eu gosto de servir em temperatura ambiente, mas você pode deixar na geladeira. e servir fria.

Bom apetite!

terça-feira, 31 de maio de 2011

Pão Artesanal - fermentação natural e luto

Sempre gostei de fazer pão. O meu primeiro pão foi uma trança doce recheada com goiabada. Minha mãe adorava e assim, não reclamava da bagunça que eu fazia na cozinha. Lembro que a técnica de esperar a massa crescer era colocar uma bolinha crua num copo d'água e esperar flutuar. Nesse momento podíamos levar ao forno. Eu, como sempre fui ansiosa, ficava futucando a bolinha pra ela subir logo. No final das contas, abandonava tal técnica e via no olho se a massa tinha crescido.
Esses dias fiz um workshop de pães artesanais com fermentação natural que estava querendo há muito tempo. Foi muito legal. Ganhei o que chamam de "pézinho", que nada mais é que um pouquinho de fermento natural. A partir dele podemos fazer um montão de fermento, basta alimentá-lo. No entanto, não sei explicar o que houve. Meu fermento morreu e por isso estou de luto. A verdade é que ter um fermento natural é bem trabalhoso. É como ser mãe pela primeira vez e eu como já tenho dois filhos, um marido e uma cachorra pra alimentar. Esqueci do fermento.
Enfim, fiz esses pães sem o fermento natural e ficaram ótimos. Claro que não tem aquele sabor azedinho do fermento natural, mas fizeram bem o seu papel.

Pão de Tomate Confit e Escarola

1kg de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento biológico seco
1 colher de sobremesa de açúcar
1 colher de sobremesa de sal
de 600 a 700ml de água fria

6 tomates sem sementes assados no forno com azeite e sal
6 dentes de alhos escaldados
folhas de manjericão

1 pé de escarola refogado no azeite e alho

Misture a farinha com o fermento. Adicione o açúcar e o sal. Junte a água aos poucos e sove bem por uns 20 minutos. Deixe descansar coberto até que dobre de volume.
Retire todo o ar da massa e divida conforme quiser.
Recheie uma parte com os tomates assados, o alho e o manjericão. Borrife água e deixe crescer até dobrar o volume, nada menos, tem que dobrar.
Com outra parte, recheie com a escarola refogada e proceda da mesma forma.
Depois que crescer, borrife água e salpique sal grosso. Leve ao forno aquecido no máximo com uma assadeira cheia de água no fundo do forno. Asse 10 minutos com o forno no máximo e depois reduza. Deixe assar até que doure a superfície.
Com a sobra da massa faça pão francês ou recheie do que quiser.




Bom apetite!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Nhoque de Batata Roxa ao Molho de Ervas e Balsâmico e uma pitada de saudade

A saudade é estranha. Digo isso porque não basta a falta de convivência. A distância ou total ausência da pessoa querida, podem aumentá-la sem que o tempo interfira. Por exemplo, agora que estou morando mais longe dos amigos e da família, sinto a saudade apertar mais. Eu podia passar meses sem encontrar minha irmã, mas sabia que ela estava alí, ao alcance das mãos. Agora tem um mês que não nos vemos e já estou morrendo de saudades. E agora dei para sentir saudades até de quem não sentia. A saudade é estranha.

Então, o que me resta senão cozinhar. Fui ao mercado municipal e lá encontrei lindas batatas roxas. Fiquei tão encantada que a senhora da banca dos doces me vendeu 1 kilo. Eu disse a ela que queria fazer um nhoque. Ela me alertou, dizendo que tinha feito há uns dias atrás e não tinha gostado do resultado, pois a cor, após o cozimento, tinha ficado acinzentada. Fui embora pensando no que ela havia dito e então resolvi acrescentar um pouquinho de beterraba para avivar a cor. Deu muito certo! A cor ficou linda!




Nhoque de Batata Roxa ao Molho de Ervas e Balsâmico
( 4 porções)




Ingredientes:

Nhoque:
1 kg de batata roxa
½ (50g) beterraba
1 xícara de farinha de trigo
50g de tofu defumado ralado
sal à gosto

Molho:
½ xícara de azeite de oliva extra virgem
1 cebola picadinha
½ molho de sálvia
1 colher de sopa de folhas de alecrim
½ xícara de aceto balsâmico
sal e pimenta do reino à gosto

Modo de Preparo:

Noque:
Cozinhe as batatas roxas e a beterraba inteiras e com casca em água até que fiquem macias. Retire do fogo, escorra a água. Deixem que esfriem um pouco e descasque-as. Passe-as no espremedor para obter um purê bem lisinho. Se ainda estiverem quentes, deixem que esfriem completamente antes de adicionar a farinha e os demais ingredientes. Amasse bem até que a massa fique bem homogênea.
Prepare uma mesa ou bancada polvilhando um pouco de farinha. Pegue pequenas porções da massa e faça rolinhos de aproximadamente 2 cm de espessura. Com auxílio de uma faca, corte os nhoquis com aproximadamente 3 cm.
Leve ao fogo uma panela com água e deixe ferver. Acrescente sal e aos poucos vá colocando os nhoquis. Um pouco por vez. Quando os nhoquis flutuarem é porque já estão cozidos. Retire com a ajuda de uma escumadeira e reserve.

Molho:
Aqueça o azeite em uma frigideira grande e refogue a cebola até que fique levemente dourada. Junte as folhas de sálvia e alecrim e deixe que desprendam seu sabor por 1 minuto. Junte o balsâmico e deixe cozinhar por 5 minutos. Acrescente os nhoquis e misture rapidamente. Tempere com sal e pimenta do reino e sirva.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Revista dos Vegetarianos - Finger Food


Olá queridos,
Minha internet foi instalada ontem, então, já podemos voltar a nos comunicar. Ainda bem! Estava com saudades.
Para compensar minha ausência no blog, esse mês, a Revista dos Vegetarianos publicou oito receitas minhas de finger food. Vale à pena conferir. São aquelas comidinhas de coquetel, todas vegetarianas e com muito charme, como esse Caviar de Quinoa com Açaí da foto abaixo.

Beijos e até breve.










quarta-feira, 27 de abril de 2011

Cheguei!

Queridos, cheguei em Piracicaba! De balão! Brincadeira :) Era só o que faltava. Mas descobri que podemos passear de balão por aqui. Amei, porém tenho medo de altura. Então, ficarei em terra firme observando, o que pra mim já é maravilhoso!
Estou arrumando a mudança e ainda sem internet, por isso a demora em postar qualquer coisa. Mas já, já terei novidades.

Acho que tenho qua aprender a fazer pamonha, prato tradicionalíssimo da cidade e realmente delicioso! Muitos sabores novos para explorar.

Até breve!


sexta-feira, 8 de abril de 2011

O papel das grandes empresas no mercado de agrotóxicos


Embora o Brasil ocupe a terceira posição no ranking dos maiores produtores agrícolas do mundo, já é líder no consumo de agrotóxicos. Somente em 2009, foram comercializados um bilhão de litros destes produtos. Dependendo do volume de vendas estimado em 2010 pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), esse recorde pode ser superado. A entidade estima um crescimento de até 8%, em relação ao período anterior.

Ainda de acordo com dados da Abiquim as empresas do ramo tiveram faturamento líquido de US$18,2 bilhões com a produção de defensores agrícolas, adubos e fertilizantes em 2010. Para manter o nível de consumo, os fabricantes e fornecedores estão financiando a produção agrícola. Este incentivo consiste em fornecer, aos produtores insumos, as sementes, adubos, fertilizantes e pesticidas, além de assistência técnica. O pagamento é efetuado após a colheita, que recebe parte da produção. Com isto, os produtores ficam reféns destas empresas.

O mercado mundial de agrotóxicos é dominado por seis empresas: Syngenta, Bayer, Monsanto, Basf, Dow, DuPont e Nufarm. Este negócio é de mais de US$ 20 bilhões por ano. O lucro cresce com a comercialização dos organismos geneticamente modificados: os transgênicos. As pesquisas na área da biotecnologia permitiram, pela primeira vez na História, o patenteamento de um ser vivo. Segundo o engenheiro agrônomo Horácio Martins, as plantas deixaram de ser espécies vegetais para se tornarem unidades de produção de moléculas. “A maior parte das moléculas, que são desenvolvidas, não está na natureza. Elas são criadas em laboratórios, e o custo de uma nova molécula, hoje, gira em torno de US$ 250 milhões. Aquele novo germoplasma, o material genético da semente, traz características e propriedades que outras sementes não têm. Ele é inovador e permite, então, ser patenteado.”


Fonte: EcoDebate

Equipe Malagueta

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Curry de Lentilha

Mês passado fui à São Paulo fazer umas fotos para a Revista dos Vegetarianos de maio. Adoro quando tenho compromissos por lá porque aproveito para fazer o meu tour gastronômico. Sempre tiro um tempinho para ir ao Mercado Municipal, à Liberdade e à Casa Santa Luzia. Paraíso gourmet. Dessa vez encontrei um arroz basmati integral que parecia maravilhoso. O arroz basmati é um arroz indiano bem fininho e longo, tem um aroma delicado e é delicioso. Para acompanha-lo fiz esse Curry de Lentilha. Casamento perfeito.


Esse lindo sousplas de crochê foi feito pela minha mãe que também tem um blog lindo que se chama Alinhavando por aí...(www.alinhavandoporai.blogspot.com). Passem lá pra conhecer.



Curry de Lentilha

1 xícara de cebola picada


3 colheres de sopa de azeite extra virgem


1 colher de chá de curry


1 colher de chá de gengibre fresco ralado


1 1/2 xícara de lentilha 1 folha de louro


1 xícara de molho de tomate orgânico ou caseiro


2 cenouras em cubos


2 batatas baroas em cubos


1 talo pequeno de aipo picado bem pequenininho


sal


100g de Castanha de caju picada


Aqueça o azeite em uma panela e refogue a cebola até que fique levemente dourada. Junte o curry e o gengibre e refogue mais um pouco. Acrescente o louro, a lentilha lavada e escorrida e o molho de tomate. Coloque água o suficiente para cobrir a lentilha e passar 5 cm do seu nível. Deixe cozinhar em panela semi tampada até que fique al dente. Acrescente a cenoura, a batata e o aipo. Tempere com sal e deixe cozinhar até que os legumes estejam macios. Sirva com arroz basmati integral ou agulhinha. Salpique com a castanha de caju picada.


Bom apetite!!!

domingo, 27 de março de 2011

Bolinhos de Quinoa


Já disse aqui que não sou contra fritura, mas sei que também não podemos abusar. Acredito que se comermos alimentos fritos em casa, com óleo ou azeite de boa qualidade, usado uma única vez e uma vez por mês, não vai matar ninguém. Eu estou aqui justificando porque quase tudo frito é mais gostoso. Não vamos ser hipócritas. É verdade.

Então, para rebater esse pequeno pecado, tratamos de usar um super alimento para aliviar a consciência, como a quinoa.

Agradou gregos e troianos. O maridão comeu acompanhado de uma cervejinha, a criançada se esbaldou e a mamãe ficou feliz por estarem comendo quinoa, cenoura, aveia, gegelim etc.

Existe pecado do bem?



Bolinhos de Quinoa

1 xícara de quinoa em grãos cozida em água e sal e escorrida 1 xícara de aveia em flocos finos 3 colheres de sopa de gergelim 1 cenoura grande ralada 3 ovos 1 colher de sopa de manjericão picado 1 colher de chá de fermento químico sal óleo vegetal para fritar Misture todos os ingredientes. Aqueça o óleo em uma panela pequena e despeje a massa às colheradas. Retire com o auxílio de uma escumadeira e disponha sobre um papel toalha. Sirva imediatamente. Bom apetite!!!

quarta-feira, 23 de março de 2011

No meu jardim e eu vamos nos mudar!


As águas de março chegaram fechando o verão e nos levaram a outros caminhos. Até que para quem está acostumada a remar contra a correnteza, senti um certo conforto em me deixar levar. Eu e minha família resolvemos nos aventurar por outros caminhos e possibilidades. Estamos de mudança para outra cidade e No meu jardim vai junto. Quem sabe vocês poderão nos visitar assim que estivermos com um novo jardim.Foi ótimo viver em Búzios e gostaria de agradecer a todos que participaram e colaboraram com o projeto do restaurante. Beto, meu amor, companheiro e parceiro. Juarez, Denise e Alciléia, meus companheiros de cozinha. Carol, Carla, Vick e Beto (de novo), os melhores garçons do mundo. Aline, amiga e melhor designer. Kalu, Rodrigo, Alvaro, Bruno, Beto (de novo) e Jeff Gardner, melhores músicos. Sheila e Andres da Cerveja Lavecchia, amigos e parceiros. Flavia da Ganesh Móveis por todo apoio, divulgação e amizade generosa. A todos vocês, amigos e clientes que prestigiaram o meu espaço e me fizeram muito feliz. Espero vê-los em breve.

Beijos,

Michele Maia

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Mousse de Agrião

Suei pra acertar essa receita. Na verdade, descobri que a agar-agar, aquela gelatina de algas que encontramos em lojas de produtos naturais, pode variar muito de intensidade e sabor. Para essa receita usei 2 colheres de sopa, mas acho que ela é meio fraquinha. O lance é fazer o teste.

Mousse de Agrião
1 litro de leite integral
1 molho de agrião (só as folhas)
1 molho de cebolinha
2 colheres de sopa de agar-agar
sal
Separe 500 ml de leite e bata no liquidificador com o agrião e a cebolinha. Reserve.
Leve os outros 500 ml de leite ao fogo com a agar-agar, mexendo até dissolver e deixe ferver por 15 minutos em fogo baixo.
Junte as duas preparações, tempere e despeje em uma forma molhada com água.
Leve à geladeira até que endureça. Desenforme e decore como preferir.
Sirva acompanhado de torradinhas ou pão integral.
Bom apetite!

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Hommus Tahine - A receita da vovó

Minha avó paterna é filha de libaneses, então faz pratos árabes maravilhosos. Essa receita de Hommus é dela, mas devo confessar que, por mais que eu siga à risca, não obtenho o mesmo resultado. Acho que é porque amor de não encontramos na prateleira do supermercado.
Mas faço sucesso sempre com aquelas pessoas que nunca comeram a da minha ! :))


Hommus Tahine

250g de grão de bico demolhado de um dia para o outro
3 colheres de sopa de tahine
suco de 2 limões
3 dentes de alho ralados fininhos
sal
salsinha

Cozinhe o grão de bico com um pouco de sal na panela de pressão por aproximadamente 40 minutos.
Quando já estiver cozido, bata no liquidificador com um pouco da água do cozimento. Só coloque água o suficiente para bater, senão ficará muito líquido.
À parte, misture bem o tahine com o limão e o alho. Junte essa mistura ao grão de bico batido.
Acerte o sal, salpique salsinha e sirva acompanhado de um belo pão integral ou pão árabe. Se gostar, regue azeite. Delícia!

Bom apetite!!!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Chuchu Raw ao Molho de Coco e Pimenta Rosa

Desculpem a repetição do tema "salada", mas nesse calorão é o que mais tenho prazer em comer. Essa salada é toda crua e surpreendentemente boa. Tenho feito aqui no restaurante e as pessoas tem adorado. Pra variar é muito fácil de preparar.


Chuchu Raw ao Molho de Coco e Pimenta Rosa

2 chuchus descascados e cortados em juliana (tirinhas fininhas)
100 ml de leite de coco
2 colheres de sopa de azeite extra virgem
1 colher de chá de vinagre de arroz
2 colheres de sopa de coco ralado
1 colher de sopa de pimenta rosa
sal

Faça o molho misturando bem o azeite, o leite de coco, o vinagre e o sal.
À parte, misture os outros ingredientes e a seguir, misture o molho.
Sirva fria.

Bom apetite!!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Salada de Tomates, Azeitonas e Limão Siciliano


Eu deveria ter vergonha de dizer que esse prato tem receita, mas o resultado é tão bom que não resisti em dividi-lo com vocês.
É a minha velha apologia ao simples com toques de criatividade.
Então a "receita" é a seguinte: escolha os mais variados tipos e cores de tomates, até aquele bem verde que é sempre deixado de lado na banca. Corte em rodelas e disponha de maneira despojada num prato raso. Espalhe um punhadinho de azeitonas e raspas de limão siciliano. Regue com azeite de oliva extra virgem e sal. Sirva imediatamente.
Bom apetite!!

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Saiu nO Dia de hoje!


Pudim de Iogurte com Calda de Frutas Frescas

Esse pudim é uma sobremesa irresistível, se é que existe uma que não seja, mas, enfim, essa vale à pena fazer. Tanto pela aparência de frescor, quanto pelo colorido que as frutas dão.
Muito fácil e gostosa.


Pudim de Iogurte com Calda de Frutas Frescas

600 ml de iogurte natural (3 potes)
1 1/2 lata de leite condensado
1 xícara de açúcar orgânico
1 xícara de água
1 kiwi
1 mamão
1 manga
1 maracujá
manteiga para untar

Misture o iogurte com o leite condensado. Unte pequenas forminhas ou uma forma grande com manteiga e distribua a mistura. Leve para assar em banho maria por aproximadamente 50 min.
Numa panela, coloque o açúcar e a água e leve ao fogo até formar uma calda em ponto de fio. Junte a polpa do maracujá e as outras frutas picadas e imediatamente desligue o fogo.
Leve ambos para gelar e na hora de servir é só desenformar o pudim e regar com a calda de frutas.

Bom apetite!

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Uma tarde muito agradável

Gente, a inauguração do No meu jardim foi um sucesso! Quero agradecer a todos que vieram e àqueles que não puderam vir, mas ficaram na torcida.
Foi uma tarde maravilhosa, com uma brisa fresca e gosto de férias.
Todos puderam relaxar, aproveitar o jardim e alimentar o corpo e a alma. Do jeitinho que eu sonhei.
Foi incrível.

Buffet de Saladas e Antepastos

Para celebrar, trouxe para vocês um prato que servi e estava uma delícia.

Abóbora Japonesa com Sementes de Coentro

1 abóbora japonesa
2 colheres de sopa de azeita extra virgem
1 colher de sopa de sementes de coentro
sal


Lave bem a abóbora japonesa e corte em fatias de 2 cm de espessura, com casca, só retire as sementes. Reserve.
Esmague ligeiramente as sementes de coentro e misture com o azeite e o sal.
Derrame essa mistura sobre a abóbora e esfregue para espalhar bem.
Leve ao forno até que fique macia e doure. Sirva quente ou fria.

Bom apetite!