domingo, 22 de fevereiro de 2009

Transgênicos

Limate
Parece ficção científica ou uma criação de Willy Wonka da "Fantástica Fábrica de Chocolate". Quem me dera... É pura realidade. São os alimentos transgênicos que já estão no nosso dia-a-dia, e o pior, sem que percebamos. Claro que não são tão evidentes como o "limate", mistura de limão com tomate, mas estão encobertos em biscoitos, margarinas, óleos etc.

A contaminação genética pode ter um efeito devastador na biodiversidade do planeta. Ao liberar organismos geneticamente modificados na natureza, colocamos em risco variedades nativas de sementes que vêm sendo cultivadas há milênios pela humanidade. Além disso, os transgênicos podem afetar diretamente seres vivos que habitam o entorno das plantações, conforme indicam estudos científicos - como no caso das borboletas monarcas, que são insetos não-alvo da planta transgênica inseticida, mas são também atingidas.
O Brasil tem uma lei de rotulagem em vigor desde 2004, que obriga os fabricantes de alimentos a rotular as embalagens de todo produto que usam 1% ou mais de matéria-prima transgênica. No entanto, apenas duas empresas de óleo de soja rotulam algumas de suas marcas do produto - e mesmo assim só depois de terem sido acionadas judicionalmente pelo Ministério Público. Há milhares de produtos nas prateleiras dos supermercados brasileiros que chegam à mesa das pessoas sem a devida informação sobre o uso de substâncias geneticamente modificadas, numa afronta direta à lei e num claro desrespeito ao consumidor.O Greenpeace publica, desde 2002, o Guia do Consumidor com uma lista verde de produtos que não usam transgênicos em sua fabricação e outra lista, vermelha, com produtos que podem conter organismos geneticamente modificados em sua composição.

Aí vai a lista vermelha:

Adams
Adria
Ajinomoto
All Day (Bunge)
Amélia (Vigor)
Ana Maria (Pullman)
Aro (Makro)
Arosa
Belcook
Cadbury
Café do Ponto
Carmelita (Vigor)
Cyclus (Bunge)
Dan Top
Delícia (Bunge)
Diet Shake (Nutrilatina)
Dizioli
Dona Benta
Duitt
Ebicen (Glico)
Forno de Minas (General Mills)
Franciscano (Vigor)
Frescarini (General Mills)
Garoto
Gourmet (Cargill)
Halls
Hemmer
Hondashi (Ajinomoto)
Kellog´s
La Table D'or
Leco (Vigor)
Linea
Liza (Cargill)
Lu (Arcor)
Luppini
Mazola (Cargill)
Melitta
Mesa (Vigor)
Mila (Bunge)
Oliva (Cargill)
Olivares (Paladar)
Pastitex
Pescal
Primor (Bunge)
Pro Sobee (Bristol & Meyers)
Pullman
Quero
Salada (Bunge)
Santa Branca
Santa Edwiges
Sazon (Ajinomoto)
Soya (Bunge)
Sustagen (Bristol & Meyers)
Trident
Veleiro (Cargill)
Vigor
Virmont
Zabet (Adria)
Visitem o site do Greenpeace www.greenpeace.org/brasil e fiquem por dentro de tudo que está acontecendo.
Comam alimentos orgânicos certificados, são mais caros, mas em compensação economizamos com remédios e tratamentos médicos. Assim protegemos nossa saúde e a saúde do nosso planeta.

2 comentários:

Adalberto disse...

Michele,

Concordo com vc! Acho um desrespeito não prestarem as NECESSÁRIAS informações! Quem decide o que eu vou comer SOU EU, não a indústria, ou aqueles que ganham dinheiro sem se preocupar com a saúde dos outros e a do planeta!!!! O debate sobre os transgênicos merece mais atenção da sociedade. O problema é que é mais fácil ser mediocre do que se aprofundar e tentar entender o desconhecido.
BUSQUEMOS A INFORMAÇÃO!!!!!

Carla disse...

Caramba, tô ferrada! Nem a "Dona Benta" escapa...rs. Todo mundo tem q ter essa lista para não comprar mais esses produtos. Mas excluir a "Garoto" da vida vai ser tão difícil...